2 de mar de 2011

FENG SHUI ESTÁ PERDENDO IDENTIDADE

CONSULTOR OU GURU?
Ambiente Poluído de Informações
Quando descobri o Feng Shui à 12 anos atrás, quase não se tinha acesso a informações sobre o assunto. Só tinha cursos em São Paulo, até mesmo pela população chinesa que lá se encontra, e também alguns poucos livros traduzidos. Na internet, apenas sites dos EUA e China. Tanto que só consegui me formar como consultora, 2 anos depois, através de inúmeras pesquisas e contatos via e-mail. Mas o que realmente importa, é que o Feng Shui que estudei e me especializei é o da China, o tradicional como dizem hoje. Ora, queridos leitores, técnica é técnica. Aqueles que a criaram são os “doutores” do assunto. Mas o que me incomoda é saber de quão comercial o nosso Ocidente transforma tudo que toca. E começou através de um chinês que se tornou “americano”. E utilizou da carência, da insegurança, da superstição do povo americano em geral, para tornar o Feng Shui praticamente uma ferramenta religiosa/esotérica. Nada contra aqueles que gostam do Budismo, do Hinduísmo, mas tornar mantras, imagens orientais, adereços esotéricos como indispensáveis para os ambientes harmonizados pelo Feng Shui é absurdo!

Buda da Fortuna, Manekineko, Dragão Chinês, Ganesha

Como posso obrigar uma pessoa de religião católica ou cristã a colocar em sua sala ou escritório a imagem do Buda da Fortuna ou um Ganesha. Claro que eu como praticante e apreciadora do Oriente, tenho estas imagens em minha casa, mas o que irá atrair a verdadeira fortuna, prosperidade e sorte, são as crenças daquela pessoa. É claro, que os livros escritos por mestres Chineses irão ressaltar estas imagens orientais, pois fazem parte de suas crenças. Cabe ao consultor adaptá-la para o nosso ocidente dentro da religião ou gosto de cada um.

Outro fator, que me deixou muito preocupada, é que recebo vários e-mails de pessoas pedindo dicas e orientações sobre a técnica, e o que mais eu tenho são e-mails de pessoas assustadas, apavoradas com o medo de sua vida ir por água abaixo só porque ela guardou uma garrafa de vinho no móvel da sala por exemplo. Gente, isso é superstição, passar de baixo de uma escada dá azar, mas ninguém nunca comprovou isso realmente. Será?

Alguns consultores em Feng Shui estão confundindo a técnica e colocando seus alter egos no trabalho com o desejo se tornarem gurus ou mestre esotérico/religioso. Cantam mantras e fazem rituais sem uma entrevista prévia com o cliente. Nós especialistas lidamos com energia, precisamos utilizar métodos para limpar ambientes e afastar energias negativas, mas tudo isso é feito com muita discrição e é preciso saber até onde o cliente concorda. Por isso que muitos colegas estão deixando de utilizar a técnica da Escola do Chapéu Negro e aderindo a apenas a Escola da Bússola, por ser mais científica. Eu particularmente continuo utilizando as duas técnicas de forma a harmonizar em parceria. Deixando o ambiente sem identidade esotérica, mas com o gosto do cliente e com suas próprias crenças, fazendo que elas dêem mais força a fé daquela pessoa, induzindo seu psicológico a ativar os setores da vida.

3 comentários:

  1. Concordo contigo em gênero, número e grau. Feng Shui ao meu ver não tem nada de religioso. A pessoa acreditar que as coisas vão melhorar nada mais é do que a força do pensamento. Se um objeto amarelo no WC vai fazer a pessoa lembrar de prosperidade, ela será próspera. Quem controla tudo é a mente e na minha opinião o Feng Shui é mais uma ferramenta para nos fazer "lembrar" o quão somos capazes.

    ResponderExcluir
  2. Que bom poder compartilhar da mesma opinião. Estava esgasgada com algumas coisas que vemos acontecendo no meio dos consultores, e isso me deixa muito irritada, rs! Amei por complementar com tanta inteleigência e sensibilidade sobre o assunto. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Roselle
    Amanhã às 7H00 de Portugal, vou fazer link para este post.
    Obrigado

    ResponderExcluir

Obrigada por participar!
Seu Comentário é muito importante.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails