Como testar a harmonia da minha casa

“ De um modo que foge completamente à nossa compreensão, o nosso inconsciente também está sintonizado com nosso meio ambiente, nosso grupo, a sociedade em geral e, além de tudo, com o contínuo espaço-tempo e a natureza no seu todo”.
(Carl G. Jung)


Tomando-se por base as considerações acima referidas pode-se concluir ser impossível crer que o homem é ser isolado e que vive momentos que não podem se alterados.

Os pensamentos interagem no meio em que vivemos exercendo poderoso efeito em nosso comportamento.

Podemos afirmar que criamos diariamente um método de vida que pode facilitar ou dificultar nosso relacionamento com o restante do cosmo.

A casa ou apartamento onde mora são reflexos fiéis de quem você é. Se a sua vida não está de acordo com seus anseios acarretando insatisfação na área profissional, pessoal ou amorosa, a casa é quem dá o primeiro sinal.

Então faça este teste, e avalie como está a harmonia de sua casa ou trabalho


Sente-se ou deite-se.

Feche os olhos e imagine estar diante da sua casa ou local de trabalho.

Abra a porta, entre devagar tentando respirar o que ali circula.

Deixe que o ar penetre em seus pulmões descendo até o baixo-ventre.

 Que sensação você tem?
Prazer ou aprisionamento?

Permaneça de olhos fechados, permitindo que a mente sinta a vibração.

Mova-se dentro da casa. Percorra todos os cômodos e então escolha um deles para sentar.

Acomode-se, fique em silêncio, deixe que seu campo eletromagnético entre em contato com o restante do campo armazenado na casa.

Abra os olhos quando achar oportuno e responda:

O que você mudaria no interior da sua casa? – Parede, móveis, objetos, cores das paredes, ventilação, enfim o que não o satisfaz ou não está de acordo com seus anseios?

Você gostaria de trocar o jogo de sofá ou sua configuração? Quem sabe a cama de dormir, os móveis de cozinha, mudar a louça do banheiro? Gostaria de ter um quarto a mais ou a menos, retirar aquela parede que atrapalha a visão? Ou quem sabe trocar as cortinas, incluir um papel de parede, mudar a iluminação ou comprar quadros novos? O que você gostaria de alterar em sua casa?

São sinais indicando o quanto a energia está bloqueada ou sendo desperdiçada.

1. Uma parede mal construída – Indica aprisionamento de energia, sobrecarga humana, mal dormir, dificuldade de comunicação, problemas de relacionamento e perda de energia pessoal.


2. Móveis que bloqueiam o espaço – Indicam estagnação profissional, diminuição dos bens móveis ou imóveis, deficiência financeira e falta de reconhecimento pessoal.

3. Objetos que não satisfazem – Indicam falta de auto-aprovação, baixa estima, insatisfação com a aparência, dificuldades na área sexual.

4. Cor da Parede – Indica ansiedade, podendo levar à obesidade, descontentamento com a aparência e falta de decisão.

5. Problemas na ventilação – Indicam energia represada dificultando a expansão dos interesses pessoais.
 
















Fonte: "Feng Shui - Uma Qualidade de Vida"

FENG SHUI ESTÁ PERDENDO IDENTIDADE

CONSULTOR OU GURU?
Ambiente Poluído de Informações
Quando descobri o Feng Shui à 12 anos atrás, quase não se tinha acesso a informações sobre o assunto. Só tinha cursos em São Paulo, até mesmo pela população chinesa que lá se encontra, e também alguns poucos livros traduzidos. Na internet, apenas sites dos EUA e China. Tanto que só consegui me formar como consultora, 2 anos depois, através de inúmeras pesquisas e contatos via e-mail. Mas o que realmente importa, é que o Feng Shui que estudei e me especializei é o da China, o tradicional como dizem hoje. Ora, queridos leitores, técnica é técnica. Aqueles que a criaram são os “doutores” do assunto. Mas o que me incomoda é saber de quão comercial o nosso Ocidente transforma tudo que toca. E começou através de um chinês que se tornou “americano”. E utilizou da carência, da insegurança, da superstição do povo americano em geral, para tornar o Feng Shui praticamente uma ferramenta religiosa/esotérica. Nada contra aqueles que gostam do Budismo, do Hinduísmo, mas tornar mantras, imagens orientais, adereços esotéricos como indispensáveis para os ambientes harmonizados pelo Feng Shui é absurdo!

Buda da Fortuna, Manekineko, Dragão Chinês, Ganesha

Como posso obrigar uma pessoa de religião católica ou cristã a colocar em sua sala ou escritório a imagem do Buda da Fortuna ou um Ganesha. Claro que eu como praticante e apreciadora do Oriente, tenho estas imagens em minha casa, mas o que irá atrair a verdadeira fortuna, prosperidade e sorte, são as crenças daquela pessoa. É claro, que os livros escritos por mestres Chineses irão ressaltar estas imagens orientais, pois fazem parte de suas crenças. Cabe ao consultor adaptá-la para o nosso ocidente dentro da religião ou gosto de cada um.

Outro fator, que me deixou muito preocupada, é que recebo vários e-mails de pessoas pedindo dicas e orientações sobre a técnica, e o que mais eu tenho são e-mails de pessoas assustadas, apavoradas com o medo de sua vida ir por água abaixo só porque ela guardou uma garrafa de vinho no móvel da sala por exemplo. Gente, isso é superstição, passar de baixo de uma escada dá azar, mas ninguém nunca comprovou isso realmente. Será?

Alguns consultores em Feng Shui estão confundindo a técnica e colocando seus alter egos no trabalho com o desejo se tornarem gurus ou mestre esotérico/religioso. Cantam mantras e fazem rituais sem uma entrevista prévia com o cliente. Nós especialistas lidamos com energia, precisamos utilizar métodos para limpar ambientes e afastar energias negativas, mas tudo isso é feito com muita discrição e é preciso saber até onde o cliente concorda. Por isso que muitos colegas estão deixando de utilizar a técnica da Escola do Chapéu Negro e aderindo a apenas a Escola da Bússola, por ser mais científica. Eu particularmente continuo utilizando as duas técnicas de forma a harmonizar em parceria. Deixando o ambiente sem identidade esotérica, mas com o gosto do cliente e com suas próprias crenças, fazendo que elas dêem mais força a fé daquela pessoa, induzindo seu psicológico a ativar os setores da vida.